O FRIO QUE FAZ NA CAMA

Ana e Luís são um casal, vivem juntos há vários anos, não têm filhos. Mantêm uma relação assente na rotina e na habituação e parecem estar cada vez mais longe um do outro.
Tó e Cátia, mais jovens, vivem um relacionamento movido pelo sexo e pelo prazer imediato. Nada parece unir estes dois casais. Uns já não são capazes de se sentirem felizes juntos; os outros buscam o prazer pelo prazer e encontram-no no sexo, nas drogas e na forma imediatista como vivem a sua paixão.
Mas há uma coisa que os liga – o frio que não deixam de sentir quando estão na cama. E há um ponto, na procura do calor por que anseiam e que rejeitam, em que as vidas dos quatro se cruzam.

Que saídas existem quando a relação entre duas pessoas se torna tão distante e monótona que já nenhum dos dois a consegue suportar? Será possível amar alguém que recusa realmente ser amado?
O Frio que Faz na Cama leva-nos a acompanhar os encontros e desencontros destas personagens movidas pela procura do que os afectos lhes podem oferecer. Esta peça propõe uma reflexão sobre as relações afectivas, num retrato duro, actual e sem tabus da busca pela satisfação sexual e amorosa.


Ficha Técnica:

Autor: António Manuel Revez

Encenação: Marco Mascarenhas

Elenco: Onivaldo Dutra, Célia Figueira, Joana Lourenço, Carlos Alves

Locução - Jorge Évora

Técnico de Audio - José Lourenço

Iluminação - Tiago Fonseca

Sonoplastia - Ricardo Fernandes

Cenário - Marco Mascarenhas

Figurinos: Célia Figueira

Produção - Onivaldo Dutra/ Carlos Alves

Assistente de Produção - Leonor Leitão

Apoios:

Câmara Municipal de Lisboa

Gebalis